in

Neymar está próximo de Lionel Messi como melhor jogador da temporada

Divulgação Barcelona
Publicidade

Neymar não teve um 2019 fácil e acumulou polêmicas dentro e fora das quatro linhas. O jogador, que fez de tudo para deixar o PSG em direção ao Barcelona, acabou tendo que ficar no time francês e conviver com as críticas da torcida.

Para piorar, Neymar se contundiu antes da Copa América, no meio do ano. Everton Cebolinha acabou sendo o destaque da seleção brasileira na conquista do torneio, que foi disputado no Brasil.

Em outubro, teve nova lesão em amistoso da seleção brasileira e acabou perdendo mais alguns jogos pela equipe francesa. No PSG, além das críticas da torcida, ficou de fora dos primeiros jogos da Liga dos Campeões devido à punição imposta pela UEFA e foi banco em partida contra o Real Madrid.

Publicidade

Messi tem desempenho incrível em 2019

De acordo com informações do site WhoScored, especializado nas estatísticas dos principais campeonatos do planeta, Lionel Messi tem sido imbatível nesta temporada.

Publicidade

Nos últimos quatro meses, a média de atuações do camisa 10 do Barcelona é de impressionantes 8,60. Considerando as cinco principais ligas da Europa (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália), Messi está disprado na frente.

O argentino teve seu melhor desempenho na avaliação em 2011/12 com 8,88. Em 2013/14, quando teve o desempenho mais baixo, sua nota foi de 8,34.

Neymar é o segundo melhor em ranking

Curiosamente, apesar de ter perdido parte da temporada, que começou em julho, Neymar é o segundo colocado no ranking do WhoScored?. O craque do Paris Saint-Germain tem nota 8,41 até o momento.

A avaliação feita por robôs, que mesclam informações de desempenho dos atletas, tem Kylian Mbappé na terceira posição, com 8,07.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Bruno Henrique e o comentário surpreendente sobre o trabalho de Jorge Jesus no Flamengo

Bruno Henrique e a mudança no número de estrangeiros e teto salarial no futebol chinês