in

Flamengo: jornalistas têm atitude diferente com Jorge Jesus após entrevista coletiva

Reprodução ESPN
Publicidade

O Flamengo derrotou o Grêmio por 5 a 0 e garantiu vaga na final da Copa Libertadores de 2019. No Maracanã, o Mengão passou pelo Tricolor com sobras e aplicou uma goleada histórica.

Praticamente todo mundo aponta Jorge Jesus como um dos grandes responsáveis pela boa fase do time rubro-negro. Com Jesus no comando, o Flamengo está na final da Libertadores e lidera o Campeonato Brasileiro.

Após a partida desta quarta-feira, Jorge Jesus concedeu entrevista coletiva na sala de imprensa do Estádio do Maracanã e a atitude dos jornalistas surpreendeu.

Publicidade

Jorge Jesus é aplaudido pelos jornalistas

Após o confronto decisivo na Libertadores e a classificação com goleada, Jorge Jesus conversou com os jornalistas e respondeu a todas as perguntas que foram feitas.

Publicidade

Assim que terminou a entrevista coletiva e Jesus se dirigia para a porta de saída, ele foi aplaudido pelos jornalistas presentes ao local. Jesus acenou para a plateia de profissionais e saiu. Everton Ribeiro estava logo atrás. As palmas teriam sido puxadas por familiares do treinador e foi acompanhada pela imprensa.

Jornalista critica atitude de colegas

O repórter Rodrigo Capelo, do Globo Esporte, criticou a postura dos colegas. Pelo Twitter, Capelo comentou que “jornalista não bate palmas em coletiva. Nem para o papa, nem para o presidente da República, nem para o técnico do Flamengo. Jorge Jesus faz um trabalho histórico, mas papel de jornalista é cobrir, não bajular”, afirmou.

Nos comentários, alguns internautas concordam com Capelo, já outros concordaram com os jornalistas que aplaudiram Jesus.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Palmeiras x Ceará: veja quantos ingressos já foram vendidos para o duelo

Atlético-MG e uma notícia que preocupa os torcedores no mercado da bola