in

Mercado da Bola: técnico exalta Messi e diminui Neymar no Barcelona

Em Tempo

O técnico Juan Antonio Pizzi, ex-comandante da seleção chilena e atual do San Lorenzo, deu a sua opinião acerca do interesse do Barcelona, clube onde atuou como jogador, pelo atacante Neymar.

O treinador alegou que, sem qualquer dúvida, a equipe espanhola possui o melhor ataque do mundo da atualidade. Ele fez questão de evidenciar que o craque Messi é o que torna o setor ofensivo do time o de maior qualidade. No entanto, afirmou que todos os atacantes são excelentes.

Treinador opinou sobre Neymar

Aproveitando a citação acerca do ataque do clube espanhol, ele decidiu fazer afirmações acerca de Neymar. Pizzi declarou que o Barcelona não necessita do atleta em seu elenco. Porém, fez questão de apontar que o jogador possui uma grande qualidade e que esse fator acaba influenciando seus companheiros a desempenharem um futebol de mais alto nível.

O Real Madrid surgiu como um forte adversário no mercado da bola para a contratação do craque. Diretores do clube estiveram em uma reunião com dirigentes do Paris Saint-Germain para negociarem acerca da transferência do atacante. No entanto, o Barça enviou, durante a semana, uma comitiva de seus representantes para a França a fim de discutir a possibilidade de retorno do jogador.

Coutinho pode entrar na negociação

A equipe do Barcelona está estudando duas possibilidades de contratação do atleta. A primeira seria um empréstimo com a abertura da opção de comprá-lo em definitivo em seu fim. A outra é oferecer o meio campista Philippe Coutinho e adquiri-lo em definitivo pelo montante de 100 milhões de euros, que equivale a 446,5 milhões de reais na cotação atual.

Avatar

Escrito por Tatiane Braz

Estudante, escritora e apaixonada pela verdade, tenho como meta levar a notícia de forma clara e real. Amo ler e percebo a cada dia que um mundo melhor se faz quando o conhecimento que adquirimos é colocado em prática.

Next post

Neymar com novo destino quase fechado

Melou: reunião entre Barcelona e PSG termina, mas sem nenhum acordo entre as duas equipes