in

Deyverson não deixa barato e rebate declaração de Mattos: ‘Eu quis bater a cabeça na parede’

Agência Palmeiras
Publicidade

Ex-homem forte de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos participou de um bate-papo com os comentaristas do programa Amici 1914, na última terça-feira (23). Entre outros assuntos, Mattos falou sobre o negócio envolvendo Deyverson e o Shenzen FC, da China.

O dirigente contou que saiu da reunião com os chineses com um baita contrato assinado: 12,5 milhões de euros. Deyverson receberia 5 milhões de euros por ano, um salário e tanto. Segundo Mattos, Deyverson não aceitou o negócio. 

“Eu quis bater a cabeça na parede”, disse o dirigente, mostrando que ficou insatisfeito com o rumo que Deyverson deu ao negócio que renderia muito dinheiro ao Palmeiras e ao próprio jogador. Após as declarações de Mattos, o estafe de Deyverson rebateu.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

A explicação é a de que o atacante não aceitou a proposta do time chinês devido a um pedido feito pelo treinador do Palmeiras na época. Luiz Felipe Scolari teria pedido a Deyverson para continuar na equipe. Por gratidão ao treinador, ele decidiu acatar e ficou.

O estafe de Deyverson também explicou que Felipão considerava Deyverson uma peça fundamental após a conquista do Campeonato Brasileiro, em 2018. O atacante também não teria sido notificado pelo Palmeiras sobre a obrigatoriedade de fechar o negócio. 

Ainda teria ocorrido falta de comunicação entre a diretoria do clube e o treinador. Deyverson, inclusive, contrariou seus representantes que viam na venda um ótimo negócio tanto no âmbito profissional quanto no financeiro. Era muito dinheiro para o jogador atuar no futebol chinês.

Publicidade
Publicidade
Diogo Marcondes

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!