in

Crespo desembarca em Guarulhos, dá primeiras palavras como técnico do São Paulo e anima torcida

Rubens Chiri - Divulgação - São Paulo
Publicidade

Oficializado na última semana como novo comandante do São Paulo, o técnico Hernán Crespo desembarcou em solo brasileiro na manhã desta terça-feira (16), no aeroporto de Guarulhos.

Abordado por vários membros da imprensa, o treinador argentino de 45 anos deu suas primeiras palavras como chefe da comissão técnica do Tricolor do Morumbi. Crespo adiantou que vinha acompanhando os últimos jogos da equipe, e destacou que assumir o time paulista é uma grande missão na carreira. 

“Vi todas as últimas partidas do São Paulo. É muita responsabilidade. A responsabilidade é porque o São Paulo é muito grande. Amanhã seguramente vou conhecer o elenco”, afirmou o treinador em rápida passagem pelo saguão do aeroporto. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Crespo se dirigiu a um hotel da capital paulista, e ainda nesta tarde já terá um primeiro encontro com a diretoria do São Paulo para discutir o planejamento. A reunião será realizada no Morumbi. O treinador argentino acertou os últimos detalhes contratuais com o Tricolor na última semana, ainda em solo argentino, e já rumou ao Brasil com toda a parte de documentação regularizada. 

Repercussão

A chegada de Hernán Crespo ao Brasil animou os torcedores do São Paulo, que repercutiram amplamente as declarações do treinador nas redes sociais. 

“Seja bem vindo Hernan Crespo que o senhor tenha um ótimo progresso”, afirmou outro torcedor. 

Quando estreia?

Apesar da rapidez para o acerto e a chegada do treinador no Brasil, Crespo ainda não tem uma data fixada iniciar no comando do São Paulo. Na visão da diretoria do Tricolor, o argentino precisará de um tempo de adaptação por conta da mudança do país, e não exige muita pressa para isso acontecer, querendo não pular etapas.

A comissão técnica de Crespo será formada por mais cinco profissionais: o auxiliar Juan Branda, o preparador de goleiros Gustavo Nepote, os preparadores físicos Gustavo Satto e Alejandro Kohan, e analista Tobías Kohan. Antes de acertar com o Tricolor, o ex-camisa 9 da seleção argentina estava no comando do Defensa y Justicia, clube no qual foi campeão da última edição da Copa Sul-Americana. 

Publicidade
Publicidade