in

Fernando Diniz diz qual é o maior legado do São Paulo e faz um elogio a si mesmo

Radar Esporte/ São Paulo TV
Publicidade

Fernando Diniz deu entrevista coletiva após a vitória do São Paulo contra o Flamengo, por 2 a 1, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pela partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Os gols da vitória foram marcados pelo atacante Brenner.

O último deles, aos 42 minutos do segundo tempo, foi marcado após falha do goleiro Hugo Souza. O jovem de 21 anos tentou driblar Brenner na pequena área, perdeu a bola e sofreu o gol que deu a vitória ao time de Fernando Diniz. O treinador reconhece o trabalho do atacante, mas não apenas dele.

“Não só Brenner, mas Sara e o Diego também, que ninguém conhecia. A melhor condição do Bruno Alves e do Luan. Todos os jogadores melhoraram, e hoje o Brenner fez a diferença. A melhora também do Volpi na saída com os pés. O maior legado não é só do Brenner, mas do elenco”, disse Diniz.

Publicidade

O treinador também exaltou o fato de os jogadores se machucarem pouco e reconheceu que isso acontece por todos os times por onde ele passou. Segundo Diniz, a metodologia e a rotina de treinamentos faz com que o time tenha poucas lesões. 

Publicidade

Diniz também comemorou que não há ninguém no departamento médico. Segundo o treinador, os atletas que estão sob o seu comando sabem se cuidar e conseguem boa recuperação. Após a partida, Fernando Diniz impediu que Luciano comemorasse a vitória dizendo que nada está definido ainda.

O jogo de volta contra o Flamengo acontece na semana que vem, no Estádio do Morumbi. O São Paulo enfrenta o Fortaleza, no fim de semana, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. Um time misto deve ser utilizado.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Renato Portaluppi cutuca ao comentar saída de Coudet do Inter e cita mensagem para Dome

Renato abre o jogo e explica porque insiste em Cortez no Grêmio