in

Tudo ou nada: Grêmio vive semana decisiva na disputa por Cavani e detalhe aumenta otimismo

Franck Fife / AFP
Publicidade

Ainda sonhando na contratação do atacante Edinson Cavani, o Grêmio segue acompanhando a situação do jogador nos bastidores. Protagonista do mercado da bola no momento, o jogador uruguaio está sendo cotado em grandes clubes do Velho Continente, mas apesar de ter o desejo de continuar atuando no Velho Continente, o tempo está correndo contra.

O craque uruguaio tem até o dia 5 de outubro para fechar com algum gigante europeu, este é o prazo em que termina a janela de transferências e o limite para inscrição de jogadores nas competições do continente. 

No momento, o jogador está sendo cotado no Atlético de Madrid, Juventus e o no Manchester United. Segundo o jornal Daily Mail, o atleta de 33 anos foi oferecido aos Red Devils, e pode funcionar como um “plano B” caso os ingleses não fechem com Jadon Sancho, do Borussia Dortmund.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

A imprensa espanhola dá como muito próxima a possibilidade do jogador acertar com o Atlético de Madrid. Com a saída iminente de Diego Costa, possivelmente para o PSG, o uruguaio desponta como o nome da vez para fazer dupla com o companheiro de seleção Luis Suárez, anunciado na última semana pelo time de Madri.

Caso Cavani não resolva seu destino até o final da próxima semana, o Grêmio poderá novamente intensificar os contatos com o representante do jogador para viabilizar a contratação. Recentemente, o presidente do Tricolor, Romildo Bolzan, informou que o craque se mostrou surpreso com a grande repercussão quando seu nome foi ventilado no clube brasileiro.

Pressa pra voltar

Trabalhando intensamente enquanto aguarda o desfecho acerca do seu futuro, Cavani tem pressa para acertar com um novo clube, uma vez que acabou ficando de fora da lista de convocados de Óscar Tabarez para os dois primeiros compromissos nas Eliminatórias para a Copa do Mundo. 

A celeste olímpica mede forças com o Chile no dia 8 de outubro, sob seus domínios, e o Equador no dia 13 de outubro, em Quito, no Equador.

Publicidade
Publicidade