in

Caso Ronaldinho: ex-craque recebe mais uma má notícia da Justiça do Paraguai

TV ABC Color
Publicidade

Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto Assis, seguem presos no Paraguai. Os brasileiros estão no país vizinho desde o dia 4 de março, quando chegaram lá para participar de um evento beneficente em Assunção. Com cédulas de identidades e passaportes falsos, os dois foram detidos e encaminhados à prisão no dia 6 de março.

Ronaldinho e Assis ficaram presos na Agrupación Especializada, em Assunção, e a defesa teve o trabalho dificultado devido à pandemia causada pelo coronavírus. Em abril, os irmãos brasileiros conseguiram sair da Agrupación e foram transferidos para a prisão domiciliar em um hotel de luxo do centro histórico da capital paraguai.

O ex-craque do Barcelona, do Atlético-MG e da seleção brasileira deu entrevista a uma TV local e afirmou que estava com saudade da mãe e do filho. Ronaldinho passou o aniversário de 40 anos preso. Para piorar a situação, não há previsão de quando ele e seu irmão vão deixar o Paraguai e retornar ao Brasil.

Publicidade

Justiça do Paraguai nega pedido da defesa de Ronaldinho

A defesa dos brasileiros entrou com recurso para que eles fossem soltos, mas a Quarta Câmara do Tribunal de Recursos indeferiu o pedido na última sexta-feira (10). Neste cenário, Ronaldinho e Assis seguirão em prisão domiciliar no Paraguai. A acusação que recai sobre eles é a do uso dos documentos falsos.

Publicidade

De acordo com informações da agência EFE, a Quarta Câmara ainda considerou o requerimento feito pela defesa dos brasileiros como “inadmissível”. A prisão preventiva pode durar até setembro. Já são quatro meses detidos no Paraguai.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Irmão de craque do Tottenham é assassinado em balada francesa

Flamengo: Jorge Jesus pode levar três jogadores para o Benfica