in

Empresário desabafa por falta de espaço para jogador no Flamengo: ‘Não dá pra continuar’

Alexandre Vidal - Divulgação - Flamengo
Publicidade

Dono de um dos melhores elencos do país, o Flamengo tem peças de reposição para quase todos os setores do campo, o que gera uma acirrada concorrência pela titularidade. No rubro-negro carioca desde 2018, o volante Piris da Motta perdeu espaço na equipe de Jorge Jesus e pode buscar novos horizontes.

De acordo com informações da mídia mexicana, o jogador é cotado como possível alvo do Atlas. O volante de 26 anos tem esbarrado em uma forte concorrência em seu setor e ainda não atuou em nenhuma partida nesta temporada.

Tido como um atleta promissor, Piris da Motta chegou ao Flamengo para ser opção na reserva de Gustavo Cuéllar. Contudo, vem sendo preterido por Willian Arão e Thiago Maia, contratado neste ano. Além da dupla titular, o Fla ainda dispõe para o setor dois volantes das categorias de base, Hugo Moura e Vinícius Souza. 

Publicidade

Empresário descontente

Diante desta situação de Piris da Motta, o empresário do jogador, Isidro Gimenez, deu uma entrevista ao site Urubu Interativo onde desabafou, classificando o cenário como insusténtavel.

Publicidade

“A situação do jogador no clube é de público conhecimento. Hoje não há possibilidade de continuar assim”, disse Gimenez ao site Urubu Interativo. 

Questionado sobre o suposto interesse do Atlas no jogador, citado pelo canal esportivo TVC Deportes, do México, o agente negou que tenha recebido propostas pelo jogador.

“Ainda não existem clubes porque o jogador está muito desvalorizado. É difícil conseguir um clube para um jogador valorizado. Imagina a um que não”, desabafou.

Curiosamente, mesmo neste impasse de permanência, Piris da Motta teve a renovação do seu contrato publicada no BID nesta semana, o novo vínculo vai até o fim de 2022.

Publicidade
Next post

Caso Ronaldinho: padre Fabio de Melo dá declaração sobre prisão do ex-craque

Dirigente do Flamengo detona treinador por entrevistas: ‘Bebeu ou estava drogado’