in

Flamengo pede R$ 10 milhões por partida à Globo e acaba pressionado por todos os lados

Divulgação Flamengo
Publicidade

O Campeonato Carioca e o futebol brasileiro retornam nesta quinta-feira (18). O primeiro depois da paralisação em decorrência da pandemia do novo coronavírus será disputado entre Bangu e Flamengo, no Estádio do Maracanã, às 21h. O jogo de retorno das competições está cercado de polêmica.

De acordo com o colunista Cosme Rímoli, do R7, o Flamengo está sendo pressionado por todos os lados porque até agora não chegou a acordo com a Rede Globo para a transmissão da partida. Clube e emissora não têm acordo pelos direitos do Estadual, mas muita gente esperava que o acerto acontecesse agora.

Flamengo pede R$ 10 milhões por jogo

De acordo com Rímoli, o Flamengo teria pedido R$ 10 milhões por partida à emissora para assinar o acordo pelos direitos de transmissão. No início do ano, o clube pediu R$ 100 milhões à Globo, mas a emissora se dispôs a pagar R$ 18 milhões, mesmo valor recebido por Botafogo, Fluminense e Vasco.

Publicidade

A Globo emitiu comunicado em que afirma que o Flamengo está no direito legítimo de não aceitar a proposta feita pela emissora. O problema é que a situação financeira da empresa e do clube não são fáceis. Pode ser que ainda haja um acordo.

Publicidade

Flamengo é pressionado

Ferj, Globo e até mesmo o Planalto estariam pressionando o Flamengo. Todos querem que o jogo que marcará a volta do futebol no Brasil seja transmitido. Sem o acordo, a partida entre Bangu e Flamengo só será vista pelos profissionais de comunicação que forem ao estádio, já que o jogo será com portões fechados e sem transmissão na TV ou internet.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Willian voltou? Corinthians anuncia contratação de peso: ‘Veste o manto desde criancinha’

Alexandre Pato fica cara a cara com Bolsonaro e ouve o que não queria