in

Caso Ronaldinho: as chances de liberdade são muito pequenas

TV ABC Color
Publicidade

Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto Assis, seguem presos no Paraguai. A informação não é novidade para ninguém. O ex-craque do Barcelona e da seleção brasileira está preso no país desde o dia 4 de março, quando chegou ao Paraguai e foi detido junto com o irmão portando cédulas de identidade e passaportes falsos.

Dois dias depois, Ronaldinho e Assis foram encaminhados para a Agrupación Especializada, presídio que abriga ex-policiais que cometeram crime. Os brasileiros ficaram atrás das grades até o dia 7 de abril, quando a defesa conseguiu uma vitória na Justiça e eles foram encaminhados para a prisão domiciliar.

Desde então, Ronaldinho e Assis estão detidos no luxuoso Hotel Palmaroga, no centro histórico de Assunção. Apenas os dois, um funcionário e o advogado estão no local. A polícia local faz a segurança. O objetivo é evitar a fuga de Ronaldinho e de seu irmão para o Brasil.

Publicidade

Não há previsão de quando Ronaldinho deixará a prisão

O ex-craque do futebol está próximo de completar 100 dias sem poder sair do Paraguai. Ronaldinho viajou ao país para participar de um evento beneficente e recebeu os documentos falsificados ainda no aeroporto. Desde então, sua vida mudou por completo.

Publicidade

A defesa tenta na Justiça o direito de Ronaldinho e Assis retornarem ao Brasil e aguardarem o desenrolar das investigações ao lado de seus familiares, mas não há nada que indique que isso deve acontecer. A princípio, as chances de Ronaldinho ser solto são pequenas. A notícia entristece os milhares de fãs do “bruxo”.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

D’Alessandro cita o Ministério da Saúde e diz que futebol deve voltar e não parar mais

São Paulo: Muricy e Rogério Ceni de volta e o que a Globo tem a ver com isso