in

Marco Aurélio Cunha tem grande chance de ser o novo presidente do São Paulo

Divulgação São Paulo
Publicidade

Marco Aurélio Cunha é um nome bastante conhecido da torcida do São Paulo e ligado a um momento vencedor da história do clube. Nos anos 1980, MAC atuou como médico. Nos anos 2000, foi superintendente da equipe que conquistou Copa Libertadores da América e Mundial de Clubes, em 2005, e o tricampeonato brasileiro, em 2006, 2007 e 2008.

O ex-dirigente quer ser presidente do São Paulo e pode pintar como candidato nas próximas eleições. Marco Aurélio Cunha disputará com Roberto Natel a indicação do grupo de oposição ao atual presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. O candidato de Leco deve ser Júlio Casares, diretor de marketing quando MAC era superintendente.

Marco Aurélio Cunha é querido pela torcida

Uma possível candidatura de Marco Aurélio Cunha vai mexer com as eleições do São Paulo. O clube, que é sempre tão fechado na questão eleitoral, pode ver o surgimento de um movimento de dentro para fora pedindo a eleição do ex-superintendente.

Publicidade

De acordo com o jornalista Paulo Vinicius Coelho, a disputa entre Marco Aurélio Cunha e Julio Casares, embora eles tenham 66 e 56 anos, respectivamente, significaria uma renovação no quadro político do clube. Casares ficou bastante conhecido ao dizer que a torcida do São Paulo passaria a do Corinthians em tamanho em 10 anos, em 2006. PVC disse ainda que MAC tem chance de vencer.

Publicidade

Torcida do São Paulo quer títulos

Em meio a uma disputa eleitoral, o que a torcida do São Paulo quer mesmo é voltar a comemorar títulos importantes. De 2009 para cá, o Tricolor conquistou apenas a Copa Sul-Americana de 2012, graças ao talento de Lucas Moura, que conduziu a equipe na conquista.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Torcida organizada do Flamengo toma decisão sobre manifestações e surpreende

Caso Ronaldinho: Brasil troca ministro, mas não se envolve na prisão do ex-craque