in

Caso Ronaldinho: terceiro brasileiro preso recebe duro castigo da Justiça

Instagram Ronaldinho
Publicidade

Ronaldinho e seu irmão, Roberto Assis, seguem presos no Paraguai desde o dia 6 de março. Nos últimos dias, a Justiça do Paraguai confirmou a prisão preventiva do brasileiro Wilmondes Sousa Lira. Ele foi preso no mesmo dia que Ronaldinho e Assis, mas foi encaminhado para uma outra prisão.

Wilmondes é acusado de ter entregue os passaportes e cédulas de identidade falsas para Ronaldinho e Assis. Na sexta-feira, o juiz de garantias Gustavo Amarilla confirmou a prisão do brasileiro. Ele está encarcerado no presídio de Tacumbú, em Assunção.

Defesa tentou levá-lo para a prisão domiciliar

Assim como a defesa de Ronaldinho e Assis, a defesa de Wilmondes tentou levá-lo para a prisão domiciliar na capital do Paraguai. Entre os argumentos utilizados pelos advogados estavam problemas de saúde e risco de se infectar pela Covid-19 na prisão.

Publicidade

A Justiça recusou o pedido. Para Amarilla, a detenção é prudente porque Wilomondes não tem raízes no país. Para sair da prisão, ele ofereceu uma propriedade rural de 18 hectares como garantia. O juiz refutou o pedido e ele segue preso em Tacumbú.

Publicidade

Ronaldinho e Assis seguem presos no Paraguai

Os brasileiros chegaram ao Paraguai no dia 4 de março. No mesmo dia, já no hotel, foram interceptados pela polícia. Dois dias depois, acabaram presos devido ao porte dos documentos falsos. No dia 7 de abril, após pedido da defesa, foram encaminhados para a prisão domiciliar. Atualmente, Ronaldinho e Assis estão hospedados em um hotel de Assunção. A defesa tenta autorização para que eles voltem ao Brasil.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Torcidas organizadas vão ser investigadas em SP

Lista com brasileiros mostra as piores contratações da história da Premier League