in

Robson Bambu acerta ida ao exterior por R$ 47 milhões e Santos fica sem nada

Divulgação Athletico-PR
Publicidade

O zagueiro Robson Bambu está com o futuro no futebol selado. Assim que a bola voltar a rolar, o jogador do Athletico-PR vai se transferir para o Nice, da França. Aos 22 anos, Robson Bambu deve se transferir para o time francês no mês de agosto por 8 milhões de euros (R$ 47 milhões na cotação).

Desde o começo do ano, a permanência de Robson Bambu no Furacão era colocada em dúvida. Lile e Montpellier, também da França, já haviam manifestado interesse no jogador que disputou o torneio pré-olímpico pela seleção brasileira. De acordo com o Globo Esporte, o contrato do zagueiro com o Nice terá duração de cinco anos e ele aguarda autorização para viajar e fazer exames médicos.

Athletico já não contava mais com Robson Bambu

Treinador do Athletico-PR, Dorival Júnior havia adiantado que não contaria mais com o zagueiro no retorno do futebol. As competições estão suspensas no país desde a segunda quinzena de março e ainda não há previsão de quando vão retornar.
O Furacão tem se especializado em fazer grandes negócios.

Publicidade

Santos fica sem nada em venda milionária

Quem deve lamentar a venda de Robson Bambu é o Santos. O zagueiro pertencia ao Peixe, mas saiu de lá, no começo do ano passado, de graça, após recusar oferta de renovação de contrato. O jogador chegou ao Furacão de graça e sai de lá por R$ 47 milhões.

Publicidade

Nas redes sociais, muitos torcedores do Santos lamentaram o negócio e criticaram a diretoria. O apresentador Milton Neves postou uma dura crítica à diretoria alvinegra em sua conta oficial no Twitter. Ele resumiu toda situação com uma palavra: “vergonha”.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Caio Ribeiro diz se pensou em sair da Globo, após polêmica com Raí, Bolsonaro e Casagrande

Ronaldinho e uma mudança radical em prisão domiciliar no Paraguai