in

Flamengo muito próximo de três reforços de primeira linha

Divulgação Flamengo
Publicidade

O Flamengo segue de olho no mercado da bola para reforçar suas equipes de base. Em meio a pandemia causada pelo novo coronavírus, o Rubro-negro deve acertar a chegada de três reforços de primeira linha. São jogadores que defendem o Sport e deixarão a base do Leão da Ilha por decisão da diretoria do clube pernambucano.

O Sport decidiu encerrar as atividades da categoria de base até dezembro. Ainda não há data de quando os times profissionais voltarão a jogar. Na sexta-feira (22), o presidente do Sport falou sobre o negócio e confirmou que três jogadores estão acertados com o Flamengo.

Flamengo vai receber promessas do Sport

De acordo com Milton Bivar, mandatário do clube pernambuco, jogadores do clube vão para outras grandes equipes do futebol nacional.
Tem três jogadores acertados com o Flamengo e um sendo negociado com o Corinthians. Vínhamos fazendo algumas parcerias com outros clubes, emprestando jogadores. A maioria vai sair agora”,
afirmou. 

Publicidade

De acordo com Bivar, o negócio será bom para o Sport, que teria direito a 40% nas vendas destes jogadores. O Flamengo é um dos grandes centros de formação de jogadores no Brasil. Nos últimos anos, Vinicius Júnior, Lucas Paquetá e Reinier foram vendidos por muitos milhões a Real Madrid e Milan.

Publicidade

Flamengo deve ser reforçado por três jogadores do Sport

Os nomes dos atletas que vão defender o Flamengo não foram revelados oficialmente. De acordo com o Globo Esporte, um deles será o goleiro Kawe, que defende o time Sub-15 leonino. Os outros dois não tiveram os nomes revelados até o momento. Por interessarem ao Flamengo, devem ser jovens promissores.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Ex-jogador de seleção europeia é encontrado morto em casa

Palmeiras: faturamento com a base passa dos R$ 100 milhões em dois anos