in

Ex-treinador da seleção brasileira está internado na UTI com câncer

CBF
Publicidade

Ex-treinador da seleção brasileira feminina, Oswaldo Alvarez, o Vadão, está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Albert Einsten, em São Paulo, onde trata um câncer no fígado. De acordo com o Globo Esporte, Vadão começou o tratamento no começo deste ano, quando passou por sessões de quimioterapia.

Aos 63 anos, o treinador segue internado e todos aqueles que admiram o seu trabalho torcem por sua recuperação. Vadão está sob todos os cuidados necessários neste momento. Por fazer quimioterapia e ter imunidade baixa, o treinador está no grupo de risco para a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Publicidade

Vadão fez sucesso em grandes equipes do Brasil

A carreira de Vadão começou nos anos 1990, quando ele comandou o Mogi Mirim que tinha craques como Rivaldo, Leto e Válber. O sistema de jogo da equipe ficou conhecido como Carrossel Caipira e encantou muitos torcedores naqueles anos. Do Mogi Mirim, passou por diversas equipes grandes do Brasil.

Vadão treinou Athletico-PR, Corinthians, Guarani, Ponte Preta e São Paulo. O último trabalho como treinador foi à frente da seleção brasileira na Copa do Mundo do ano passado. As mulheres do Brasil caíram nas oitavas de final, diante da França. Após a competição, Vadão foi demitido.

Publicidade

Vadão fez história em Guarani e Ponte Preta

Pelas redes sociais, Guarani e Ponte Preta se manifestaram sobre a internação de Vadão. O treinador fez sucesso nas duas equipes e nunca perdeu um clássico na cidade. Foram dérbis disputados, com cinco vitórias (uma pelo Bugre e três pela Macaca) e quatro empates (três pela Macaca e um pelo Bugre).

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Neymar no Barcelona? Mágoa e 222 milhões de euros

Cruzeiro pode ser rebaixado para a Série C do Brasileirão em nova punição da Fifa