in

Craque que se recusou a doar dinheiro para combate à Covid-19 curte quarentena em mansão

Instagram Adebayor
Publicidade

Centroavante do Olímpia, do Paraguai, Emanuel Adebayor virou notícia em todo o mundo ao afirmar que não doaria dinheiro para ajudar seu país, Togo, no continente africano, na luta contra o novo coronavírus, causador da Covid-19. As declarações do jogador repercutiram.

“Para aqueles de vocês que me acusam de não doar nada, deixem-me ser muito claro: não dou mesmo. É muito simples. Faço o que quero com o dinheiro e como quero. Além do mais, há quem me critique pelo que fiz, por não ter feito uma única doação em Lomé (capital togolesa)”, afirmou o atacante.

Publicidade

Assim que a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou a pandemia, Adebayor viajou para Togo. O avião em que ele estava pousou em Benin e ele ficou 15 dias em quarentena no país. Logo depois, conseguiu chegar a Lomé, onde mora em uma mansão.

Adebayor curte mansão em Togo

Adebayor tem postado várias fotos em que aparece em sua mansão na cidade de Lomé. Nos posts, ele costuma interagir com os seguidores – são mais de 1 milhão. Em uma das ele perguntou aos seguidores o que estão aprendendo durante esses tempos difíceis. 

Publicidade

“Quando você não tem dinheiro, não tem amigos”, comentou um seguidor. “Todo mundo precisa de alguém”, afirmou outro. “Ser feliz, não importa o que aconteça!!! A felicidade é muito, muito barata”, postou outro seguidor de Adebayor.

Na rede social, o jogador do Olímpia tem postado fotos em que aparece praticando esportes, como tênis e futebol, e também sentado embaixo da sombra de uma árvore no que parece ser o quintal de sua mansão. Em imagens mais antigas, ele exibe seus carrões.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Cruzeiro sofre severa punição da FIFA após atraso de pagamento; entenda

Roberto Carlos surpreende e crava qual o melhor atleta que viu jogar: ‘Nunca haverá outro’