in

Ronaldinho e a dura notícia no Paraguai: ‘Prisão preventiva por até 6 meses’

G1
Publicidade

Ronaldinho e seu irmão, Roberto Assis, seguem presos no Paraguai há mais de 70 dias. Desde o dia 7 de abril, os brasileiros cumprem prisão domiciliar em um hotel do centro histórico de Assunção, capital do país. Antes de ir para a prisão domiciliar, eles ficaram presos na Agrupación Especializada.

Os dois foram detidos pelas autoridades paraguaias no dia 4 de março, após entrarem no país e receberem cédulas de identidade e passaportes falsos. Dois dias depois, foram encaminhados para o presídio que abriga policiais que cometeram crime. 

Publicidade

Defesa tenta tirar Ronaldinho e Assis da prisão

A defesa de Ronaldinho e Assis entrou com um pedido pedindo a liberação dos dois. Neste cenário, eles pagariam multa por terem usado os documentos falsos, mas seriam liberados para voltar ao Brasil. O recurso foi protocolado há 16 dias e o resultado pode sair a qualquer momento.

Caso a resposta seja negativa, Ronaldinho e Assis seguirão em prisão domiciliar no Hotel Palmaroga, sem previsão de quando vão deixar o local. Em entrevista a uma TV local, Ronaldinho afirmou que a primeira coisa que faria na volta ao Brasil seria dar um beijo na mãe.

Publicidade

MP pede prisão preventiva de seis meses

O Ministério Público do Paraguai pede que Ronaldinho e Assis fiquem presos por seis meses. O objetivo é investigar tudo o que pode estar por trás da prisão dos brasileiros no período em que eles continuarem detidos. Havia suspeitas de um esquema de lavagem de dinheiro. A empresária Dalia López segue foragida. Ela foi a responsável pela ida de Ronaldinho ao país.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Dourado de saída? Dirigente do Inter detona o Flamengo: ‘Acha que pode comprar todo mundo’

Cruzeiro sofre severa punição da FIFA após atraso de pagamento; entenda