in

Presidente do Atlético provoca o Cruzeiro: ‘queremos eles na corda bamba’

Reprodução/Gazeta Esportiva
Publicidade

Os principais clubes do futebol brasileiro já estão demitindo funcionários e sofrendo os impactos da pandemia do novo coronavírus. Em Minas Gerais não está sendo diferente, e os dois principais clubes do estado lutam para manter as contas em dia.

Sérgio Sette Câmara sobre crise no Cruzeiro

O Cruzeiro teve a pior campanha de sua história na última temporada e acabou sendo rebaixado à segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Como se já não bastasse os problemas dentro de campo, fora das quatro linhas o clube também passa por investigações da Polícia Civil.

O presidente do Atlético-MG, Sérgio Sette Câmara, concedeu entrevista ao Canal do Nicola e comentou sobre o erro de gestão do Cruzeiro na última temporada e os altos valores pagos aos atletas.

Publicidade

“O Elias era nosso maior salário e o Cruzeiro tinha, pelo menos, 10 ou 12 jogadores que ganhavam mais que ele. A gente via que ia explodir, era uma questão de tempo.”, disse o presidente do Galo.

Publicidade

Fim da raposa?

Atlético e Cruzeiro possuem uma das maiores rivalidades do Brasil, no entanto, ainda assim o presidente do Galo não torce pelo fim do adversário. Segundo ele, o futebol ficaria chato caso o time rival viesse a falência na atual crise em que se encontra.

“Você imagina o Inter sem o Grêmio? Ou o contrário? Fica chato. A gente quer eles na corda bamba, vivo, respirando sobre aparelhos, mas a gente não quer eles mortos.”, completou o dirigente do clube mineiro.

E para você torcedor, o Cruzeiro será capaz de alcançar o acesso na temporada 2020 e retornar à elite do Campeonato Brasileiro? Deixe sua opinião nos comentários.

Publicidade
Next post

Vasco anuncia medida drástica para tentar controlar a crise por conta do coronavírus

Barça pode desembolsar quase R$ 30 milhões por joia do São Paulo que sequer estreou