in

Felipe Melo foi peça chave para redução salarial no Palmeiras; entenda

Cesar Greco - Ag. Palmeiras - Divulgação
Publicidade

A pandemia do coronavírus impactou diretamente no aspecto financeiro dos clubes brasileiros. Diante da falta de bilheteria em virtude da paralisação dos certames, a maioria dos clubes estão chegando a acordos com seus respectivos planteis para definir a redução salarial durante o período de inatividade. No Palmeiras não foi diferente.

No início da semana, o clube palestrino oficializou o corte de 25% dos vencimentos dos atletas. A iniciativa foi repassada aos jogadores e teve boa aceitação. De acordo com o técnico Vanderlei Luxemburgo, o zagueiro Felipe Melo foi o responsável por intermediar e conduzir as conversas entre o Verdão e o elenco.

“O presidente sempre fala comigo. Ele tem dado uma demonstração de como o Palmeiras é grande e como vai passar por isso. Eu falo com o capitão da equipe, que é o Felipe Melo. O documento chegou para eles. Foi uma aceitação unânime que era importante a gente ceder [a redução de salários]”, disse Luxemburgo.

Publicidade

Cenário nos rivais

Além do Palmeiras, outros clubes paulistas tiveram que adotar a prática de redução salarial. No São Paulo, houve uma discordância inicial para uma redução de 50%, sem o pagamento dos direitos de imagem, mas com os atletas sendo recompensados quando as competições forem retomadas. Apesar da resistência de uma parte do elenco, a medida acabou sendo imposta.

Publicidade

No Corinthians, a diretoria alvinegra negociou com os líderes do elenco para conseguir chegar a um acordo de redução de 25%. Dos grandes paulistas, o Timão é que se encontra em uma situação financeira mais delicada. 

Já o Santos teve uma redução de 30% dos vencimentos, com 15% sendo reembolsado de forma parcelada após o término da quarentena. Inicialmente, cogitou-se a possibilidade de 50% de redução, mas os líderes do elenco recusaram.

Publicidade
Next post

TV Globo vai reprisar jogos do Flamengo, Corinthians e Palmeiras; veja lista

Zagueiro italiano detona Felipe Melo em biografia: ‘Era uma maçã podre’