in

Caso Ronaldinho: Justiças do Brasil e Paraguai conversam sobre prisão de ex-craque

G1
Publicidade

O tempo passa e Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto Assis, continua preso no Paraguai. Os dois estão no país desde o dia 4 de março. O que era para ser uma viagem curta, tornou-se um pesadelo sem fim para o ex-craque do futebol mundial. Ronaldinho e Assis foram detidos com documentos falsos.

Os passaportes e cédulas de identidade que eles carregavam tinham números verdadeiros, mas pertenciam a outras pessoas. No dia 6 de março, Ronaldinho e Assis foram presos na Agrupación Especializada, em Assunção. A situação dos dois não é tão simples.

Publicidade

Dalia López, empresária que levou Ronaldinho para o país, onde ele participaria do lançamento de um livro, um cassino online e de um evento beneficente, teve a prisão decretada, mas está foragida desde então. Ronaldinho e Assis foram a prisão domiciliar no dia 7 de abril, mas não têm previsão de quando poderão voltar ao Brasil.

Justiças de Brasil e Paraguai conversam

Quando Sergio Moro era ministro da Justiça e da Segurança Pública, ele chegou a ligar para o Paraguai para entender a situação de Ronaldinho e Assis. Havia informações de Moro viajaria ao país para tratar do assunto. De fato, o ex-ministro tinha reunião no país, mas foi cancelada devido a pandemia do novo coronavírus.

Publicidade

Agora, de acordo com informações do Jornal de Brasília, as justiças dos países estariam conversando constantemente sobre a prisão de Ronaldinho e Assis. A investigação pode apontar para outros crimes.. Não há previsão de quando a situação será resolvida. Enquanto isso, os dois seguirão detidos em um hotel de luxo de Assunção, com diária de cerca de R$ 2 mil. Haja dinheiro.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

Next post

Emprestado ao Náutico, atacante lamenta falta de oportunidades no Flamengo

UFC 249: lutadores usam máscaras na pesagem e respeitam distanciamento; assista