in

Neymar vence torneio de pôquer com mais de 700 inscritos e fatura bolada

Luiz Bertazini / Divulgação
Publicidade

Craque da seleção brasileira e do PSG, Neymar é um amante do pôquer. O jogo que exibe habilidade, concentração e estratégia é bastante praticado pelo jogador de futebol. Nesta quarta-feira (6), Neymar venceu um torneio da modalidade, demonstrando que não brilha apenas no esporte mais popular do planeta.

Neymar participou de um torneio de pôquer com 758 inscritos. O jogador de futebol foi o campeão da disputa. Para participar, o jogador investiu 22 dólares (R$ 125 na cotação atual). Ao vencer o torneio, Neymar faturou R$ 14 mil. Não que esse dinheiro faça a diferença para quem ganha milhões por ano, mas é um incetivo interessante.

Neymar é entusiasta do Pôquer

O pôquer faz parte do cotidiano do craque da seleção brasileira e do PSG. Neymar costuma jogar partidas online regularmente. Com a paralisação do futebol devido a pandemia causada pelo novo coronavírus, o craque tem tido mais tempo para demonstrar sua habilidade no jogo da mente.

Publicidade

Neymar é amigo pessoal de André Akkari, um dos melhores jogadores de pôquer do mundo, e já teve aulas particulares. O pôquer não é apenas um vício virtual para o jogador de futebol, Neymar já participou de eventos presenciais. O atleta já apareceu na etapa de São Paulo do Brazilian Series of Poker (BSOP).

Publicidade

Além disso, o jogador foi também a algumas etapas da European Poker Tour (EPT). Nesta quarta, Neymar postou o resultado do torneio de pôquer e marcou, além de Akkari, os profissionais Stetso Fraiha e Rafael Moraes. Nada mal ganhar R$ 14 mil em uma quarta-feira qualquer, não é mesmo?

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

São Paulo: demissão de Raí ganha novo episódio e tem a ver com Lula e Bolsonaro

Efeitos da crise? Valor de mercado de Neymar, Messi e Mbappé despencam, diz estudo