in

Ex-jogador é declarado morto, aparece quatro anos depois e suspeita de golpe é detalhada

Divulgação Schalke 04
Publicidade

O congolês Hiannick Kamba surgiu para o mundo do futebol em 2013. Revelado pelo Schalke 04, da Alemanha, o jogador parecia ter uma carreira promissora pela frente jogando em uma grande equipe de um dos principais centros esportivos da Europa. Tudo mudou no ano de 2016, após um suposto acidente de carro.

A Alemanha e o mundo foram informados de que o jogador revelado havia três anos tinha morrido em um trágico acidente de carro. Ao longo da história, diversos jogadores ao redor do mundo morreram dessa forma. No Brasil, um dos casos mais lembrados envolve o atacante Denner, morto em acidente de carro em 1994.

Kamba não morreu

Quatro anos depois da suposta morte de Kamba, algo totalmente inesperado aconteceu: o ex-jogador, hoje com 33 anos, foi visto trabalhando em uma empresa de energia do Vale de Ruhr. O local é conhecido como o de maior atividade industrial do continente europeu.

Publicidade

A informação pegou muita gente de surpresa. Afinal de contas, a suposta morte ocorrida em 2016 havia sido noticiada por vários veículos de comunicação do país e do mundo. Por trás de tudo isso, há uma suspeita envolvendo a ex-mulher do ex-jogador do Schalke 04.

Publicidade

Golpe teria sido realizado pela ex-mulher

De acordo com a procuradora alemã Anette Milk, em entrevista ao jornal Bild, a ex-mulher de Kamba pode ter dado um golpe. O ex-jogador afirma que foi abandonado por amigos, durante uma noite de janeiro de 2016, no Congo. ele foi deixado sem documentos, dinheiro e celular. A ex-mulher teria feito isso para receber o seguro de vida do jogador. O caso deve ser investigado a partir de agora.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Palmeiras tem prioridade informal e filhos viram trunfo para Hulk voltar ao Brasil

Caso Ronaldinho: a última grande esperança para deixar a prisão domiciliar no Paraguai