in

Andrés Sanchez deixa nas mãos de Tiago Nunes o futuro de dois medalhões do Corinthians

Antônio Cícero/Estadão Conteúdo | Reprodução/YouTube/Meu Timão
Publicidade

O futebol brasileiro segue estagnado dentro de campo, tendo em vista a pandemia provocada pelo novo coronavírus. Nos bastidores, o clima é de trabalhos intensos, a fim de avaliar os prejuízos provocados pelo período sem jogos. O Corinthians tem o interesse de reforçar o seu elenco, mas antes disso entende como fundamental a definição sobre o futuro de atletas que estão com os contratos próximos do fim.

Corinthians e o futuro de Boselli e Love

No último sábado (25), o presidente Andrés Sanhez participou de uma entrevista ao programa Sportscenter, dos canais ESPN. Na ocasião, o mandatário foi questionado sobre o futuro de dois medalhões do Timão.

Publicidade

O argentino Mauro Boselli e Vagner Love estão com os contratos próximos de serem encerrados, e em breve poderão assinar um pré-contrato com outra equipe, sem render nenhum centavo aos cofres do Timão.

Ao ser questionado sobre o futuro dos veteranos, o presidente escorregou, e deixou a decisão para o treinador Tiago Nunes. “Não estamos seguindo nenhuma negociação. O Boselli demonstrou interesse em querer continuar, mas nós falamos que vamos aguardar um pouco. Na hora certa, lá para agosto ou setembro, o treinador vai decidir com quem ele quer contar”, disse Andrés Sanchez.

Publicidade

Andrés Sanchez e a busca por um camisa 9

Recentemente, em outra entrevista, desta vez para os canais Fox Sports, Andrés Sanchez voltou a falar sobre o setor ofensivo do Corinthians. O presidente recordou que, com a saída de Gustagol, Boselli e Love se tornaram os principais nomes para o ataque do Timão. “Não estamos atrás de camisa 9”, disse na ocasião.

Publicidade
Avatar

Escrito por Henrique

Henrique Furtado é um redator que gosta de ocupar o seu tempo livre lendo notícias, e noticiando aquilo que acha mais interessante.

Next post

Candidato à presidência do Vasco não vê Fla como imbatível e ainda alfineta rubro-negro

Funcionário da CBF morre com suspeita de coronavírus