in

Corinthians: após corte de luz, salários atrasam e situação financeira é complicada

Magazine Notícias
Publicidade

A realidade de boa parte dos clubes brasileiros não é nada fácil. O Corinthians, por exemplo, vive uma crise financeira que foi ainda mais agravada devido à paralisação do futebol por causa da pandemia causada pelo novo coronavírus. Sem jogos, os times deixam de arrecadar dinheiro por muitos lados.

Além das bilheterias, o Corinthians deixou de receber a última cota dos direitos de transmissão do Campeonato Paulista, não receberá a do Brasileirão até que o torneio comece e ainda perdeu cinco patrocinadores que, somados, representam R$ 3 milhões a menos por mês.

Corinthians teve luz cortada e salários estão atrasados

No fim de semana, a energia elétrica do Parque São Jorge foi cortada por falta de pagamento. A notícia viralizou nas redes sociais e muitos torcedores de times rivais tiraram sarro dos corintianos. A situação financeira ruim não parou por aí. De acordo com o jornalista Jorge Nicola, no Yahoo, o Timão ainda não pagou o salário de março e e pode cortar metade dos vencimentos dos funcionários a partir do mês que vem.

Publicidade

Jogadores como Cássio, Fagner, entre outros, estariam esperando o pagamento de março cair na conta. O valor pode ser depositado nesta quarta-feira (29). A partir de maio, os funcionários que trabalham de casa podem ter jornada diminuída e também diminuição salarial.

Publicidade

Corinthians explica corte de luz

Em nota divulgada no fim de semana, o Corinthians explicou que a mudança na rotina de trabalho devido à pandemia causada pelo novo coronavírus fez com que houvesse desencontro de informações e por isso a conta não foi paga. 

 “a mudança na rotina de trabalho em home office devido à pandemia do Covid-19”

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Dedé abre o jogo sobre Thiago Neves no Cruzeiro: ‘deu mole’

UEFA bate o martelo e define prazo para federações retomarem as competições