in

Felipe Melo pede para Ibrahimovic jogar no Palmeiras e aguarda resposta

Divulgação Palmeiras
Publicidade

O volante Felipe Melo é um dos principais jogadores do Palmeiras na atualidade. O veterano está atuando como zagueiro com Vanderlei Luxemburgo e tem recebido muitos elogios do treinador, do torcedor e da imprensa esportiva. Assim como todos os outros jogadores, Felipe Melo está em casa devido a quarentena.

O jogador do Palmeiras participou de um live com o canal Allianz Parque e contou está sua rotina em casa. O zagueiro tem aproveitado o momento para curtir sua família. A vida de jogador é muito corrida e ele passa mais tempo fora de casa, viajando, treinando e jogando, do que com a família.

Felipe Melo não perde o bom humor

Mesmo em casa, sem treinar e jogar, Felipe Melo não perde o bom humor. “Estou sentindo falta de jogar futebol, daquela treta dentro do futebol, dos passes de três dedos de 70 metros que o Felipe Melo costuma dar. Eu já não consigo mais olhar para o álcool em gel, já estou bebendo”, afirmou o atleta.

Publicidade

Convite para Ibrahimovic defender o Palmeiras

No bate-papo com o humorista Mauricio Meirelles, Felipe Melo reordou também do convite que fez para Ibrahimovic, hoje no Milan, defender o Palmeiras. A chegada de estrelas do futebol mundial têm se tornado comum nos últimos anos. Ronaldo, Roberto Carlos, Seedorf, Daniel Alves, entre outros, são exemplos.

Publicidade

“Ele tem um carinho por mim, mas não somos amigos. Pelo contário, mandei uma mensagem pro Ibra pra ele vir pro Palmeiras e estou esperando a resposta até hoje”, revelou o zagueiro-volante do Palmeiras. Sem dúvida nenhuma, a torcida do Verdão ficaria feliz com a chegada de um atacante desse nível.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Corinthians sente saudades do PT e do patrocínio da Caixa, afirma jornalista

Flamengo: Bandeira diz que tragédia do Ninho não teria acontecido se ele fosse presidente