in

Retorno de atacante ao Brasil pode render uma bolada ao Palmeiras; entenda

Divulgação - Palmeiras
Publicidade

Apesar do futebol nacional estar paralisado em decorrência da pandemia do coronavírus, o mercado da bola segue sendo agitado pelos clubes, que se movimentam nos bastidores em busca de reforços pontuais para a sequência da temporada. Com passagem pelo Palmeiras, o atacante Roger Guedes tem sido alvo de Corinthians e do Atlético-MG. As informações são do apresentador dos canais FOX Sports, Benjamin Back.

Atualmente defendendo as cores do Shandong Luneng, da China, Roger Guedes está no radar destas duas equipes, e este tipo de rumor tem animado o Palmeiras. Em caso de retorno ao atacante ao futebol brasileiro via empréstimo, o Verdão tem direito a receber R$ 3 milhões de euros, cerca de R$ 17 milhões. A cláusula entre o time paulista e os chineses foi revelada pelo ex-diretor de futebol do time palestrino, Alexandre Mattos.

Publicidade

Em entrevista ao programa FOX Sports Rádio, o dirigente que hoje exerce a função no Atlético-MG, revelou que Roger Guedes revelou o interesse no jogador, e que tentou a sua aquisição em definitivo junto ao Shandong, antes mesmo do calendário do futebol ser paralisado.

A proposta, no entanto, foi rechaçada pelos chineses. O Shandong utilizou a boa fase do atleta no futebol asiático para justificar a recusa. Apesar do declínio, Mattos ainda não ‘jogou a toalha’ na corrida pelo jogador, acreditando que a crise financeira por conta do Covid-19 possa impactar o futebol chinês.

Publicidade

Empréstimo e venda

Após se destacar na campanha do título do Brasileirão de 2016, Roger Guedes vivenciou um efeito gangorra no Palmeiras. Questionado por atuações abaixo da média, e sem o espaço desejado, o jogador acabou sendo emprestado para o Atlético-MG, onde iniciou muito bem a sua trajetória. Após despontar no Brasileirão, o jogador acabou sendo vendido pelo Palmeiras ao Shandong Luneng.

Publicidade
Next post

Atacante do Bayern é multado após se apresentar com ‘carro errado’; entenda o caso

Palmeiras e a escolha entre Carlos Eduardo e Bruno Henrique