in

Efeitos da crise? Flamengo atrasa parcela de zagueiro e terá que fazer renegociação

Alexandre Vidal - Flamengo - Divulgação
Publicidade

A pandemia do coronavírus impactou de forma direta a situação financeira dos clubes. E parece que nem mesmo os grandes clubes estão “imunes” do cenário de acúmulo de dívidas e indefinição. De acordo com o jornalista Paulo Vinícius Coelho, o Flamengo atrasou uma parcela referente à compra do zagueiro Léo Pereira.

Mesmo sendo dono da maior receita anual do futebol nacional, o clube da Gávea atrasou o pagamento junto ao Athletico Paranaense, que teve vencimento no último dia 14 de abril. A crise por conta da pandemia fez com que patrocinadores do clube como Adidas atrasassem o pagamento. Além disso, o Azeite Royal pediu a rescisão do contrato. 

Segundo o jornalista, a parcela em aberto seria de aproximadamente de R$ 3,5 milhões. Procurado, o diretor-executivo de futebol do Fla, Bruno Spindel, não confirmou o caso específico de Léo Pereira, mas revelou que o clube terá que efetuar a renegociação de alguns contratos.

Publicidade

“Temos boa situação, mas a crise exige repactuar alguns acordos anteriores”, disse Spindel.

Publicidade

Furacão compreensivo

Apesar de contar com o dinheiro, o Athletico Paranense se mostrou compreensivo com o atraso do Flamengo, haja visto que o cenário de crise se desenha para o futebol nacional como um tudo.

De acordo com PVC, o caso do atacante Michael, contratado junto ao Goiás por cerca de R$ 32 milhões, é distinto, uma vez que o clube da Gávea efetua pagamento semestrais. A próxima parcela do acordo entre rubro-negros e esmeraldinos está prevista para julho.

O Flamengo segue com as suas atividades paralisadas em decorrência da pandemia. O último jogo dos comandados de Jorge Jesus foi no dia 14 de março, quando superaram a Portuguesa-RJ, pela Taça Rio.

Publicidade
Next post

Bruno Henrique na mira de clubes do exterior: R$ 150 milhões

Corinthians e o pedido a Tiago Nunes que repercute: ‘traz o Ralf de volta’