CLUBES

Conmebol anula expulsão de Dedé e jogador enfrenta Boca Juniors pela Libertadores

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) divulgou nesta quarta-feira (26) que a expulsão do zagueiro Dedé, do Cruzeiro, no jogo de ida das quartas de final da Copa Libertadores da América, está anulada.

A decisão acontece uma semana depois da controversa expulsão ocorrida na Bombonera, em Buenos Aires. Com esta medida adotada pela Conmebol, Dedé fica liberado para o jogo de volta, na próxima semana, em Minas Gerais.

Nas redes sociais, os torcedores do Cruzeiro repercutiram a decisão. Eles ficaram felizes com a anulação do cartão vermelho, mas lamentaram a derrota por 2 a 0 – o segundo gol foi tomado após a expulsão do principal jogador de defesa do clube mineiro.

Dedé foi expulso, após lance com goleiro

No jogo de ida contra o Boca, Dedé foi expulso após se chocar com o goleiro Andrada pelo alto. O árbitro Eber Aquino reviu o lance no VAR e revoltou a todos ao expulsar o jogador do time celeste.

No lance, Dedé e o goleiro se chocaram de cabeça pelo alto. O zagueiro cruzeirense não viu que estava indo em direção ao arqueiro do time argentino, que ficou caído, sangrando e precisou de atendimento médico.

No dia seguinte ao lance, que tornou-se assunto comentado nas redes sociais e nos principais jornais e sites esportivos de Brasil e Argentina, o presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, e o supervisor administrativo, Benecy Queiroz, não voltaram ao Brasil.

Os dois partiram para Luque, no Paraguai, e se reuniram com membros da Conmebol. Entre eles, estava Alejandro Dominguez, presidente da entidade máxima do futebol no continente. O Cruzeiro ganhou Dedé para o jogo de volta, mas precisa reverter o placar de 2 a 0 – na Libertadores, há critério de gol marcado fora de casa.

Leia Também

Tags

Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

Artigos relacionados

Close