in

Caso Ronaldinho: primeiro ato do craque fora da cadeia é uma volta ao início de tudo

Globo Esporte
Publicidade

Ex-craque do futebol mundial, Ronaldinho viveu uma situação atípica nos últimos 32 dias, quando esteve preso na Agrupación Especializada de Assunção, no Paraguai. Ele e o irmão, Roberto Assis, ficaram detidos no presídio de segurança máxima devido ao uso de documentos falsos.

No dia 4 de março, Ronaldinho e Assis foram interpelados pelas autoridades no hotel onde estavam hospedados. Eles viajaram ao Paraguai porque o ex-craque do futebol participaria de um evento beneficente. Os dois receberam cédulas de identidade e passaportes falsos ao chegarem ao país.

Ronaldinho deixa prisão

Nesta terça-feira (7), a defesa de Ronaldinho conseguiu o que tanto queria: a autorização para que ele e Assis cumpram prisão domiciliar. Os dois ficarão hospedados em um hotel do centro histórico de Assunção, cujas diárias variam de R$ 350 até R$ 1.700. 

Publicidade

A decisão de enviá-los para a prisão domiciliar foi tomada pelo juiz Gustavo Amarilla. O Ministério Público apoiou a decisão, mas pediu que os dois estivessem sob custódia policial. Ainda há certo medo de que eles fujam para o Brasil e não cumpram a pena preventiva com a Justiça paraguaia.

Publicidade

Primeiro gesto de Ronaldinho fora da prisão chama a atenção

Ronaldinho deixou a cadeia sorrindo e o primeiro ato dele fora das dependências prisionais foi um retorno ao começa de tudo. Ronaldinho se dirigiu a um torcedor e autografou uma camisa do Grêmio. Foi no clube gaúcho, no fim dos anos 1990, que Ronaldinho começou a desfilar seu talento com a bola nos pês. Ele defendia o Tricolor quando foi convocado para a seleção brasileira pela primeira vez, em 1999. 

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Corinthians: Tiago Nunes rejeita contratação de astro argentino e surpreende

Mercado da bola 2020: lateral Mariano entre dois gigantes do futebol brasileiro