in

Ronaldinho e o drama vivido em prisão no Paraguai: ‘não sabe nem onde está’

G1
Publicidade

Ex-craque do futebol mundial, Ronaldinho segue preso no agrupamento especializado de Assunção, capital do Paraguai. No próximo dia 6 de abril completará um mês que ex-jogador do Barcelona e do Atlético-MG está detido no país vizinho ao Brasil e não há previsão de quando ele será solto.

Ronaldinho e seu irmão, Roberto Assis, foram interpelados pela polícia no dia 4 de março, após chegarem ao Paraguai. Eles portavam documentos falsos e acabaram detidos. Dois dias depois, a Justiça ordenou a prisão dos irmãos brasileiros.

Ex-jogador do River Plate visita Ronaldinho

Nelso Pepino Cuevas, ex-jogador do River Plate, visitou Ronaldinho na prisão em Assunção. O ex-atleta relatou tudo o que viu em entrevista à CNN rádio, divulgada neste domingo (29). Os detalhes são de cortar com o coração com a situação de Ronaldinho na prisão.

Publicidade

“Ronaldinho está triste, não está nada feliz. Ele é caracterizado pelo seu sorriso, bom humor e jeito de ser. Mas, hoje, seu sorriso está apagado”, afirmou Cueva, que diz ter conversado com Ronaldinho por cinco ou seis horas. Ele foi uma das poucas pessoas autorizadas a visitar o brasileiro na cadeia. O ex-jogador do Riveer classificou o brasileiro como vítima, mas reconheceu que ele cometeu crime ao usar passaporte falso.

Publicidade

Ronaldinho é inocente

Cuevas contou mais detalhes do caso. Em sua opinião, Ronaldinho foi colocado nessa jogada e caiu. Para o ex-jogador do River, o ex-craque do Barcelona pecou por ser inocente e acabou cometendo um delito. “Do que percebi, ele não sabe nem onde está. Tem assessores que cuidam de tudo. Ele é inocente”, finalizou Cuevas.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Grêmio perto de acordo com craque da Juventus; e torcida delira

Tiago Nunes vai e Mano Menezes vem? Os bastidores do Corinthians esquentam