in

Flamengo vai com tudo para cima da imprensa e processo contra jornalista é anunciado

Meia Hora
Publicidade

A Globo não é o único veículo da imprensa com o qual o Flamengo não mantém uma boa relação atualmente, depois de brigas por causa dos direitos de transmissão do Campeonato Carioca. O clube mais vitorioso na atualidade foi para cima da imprensa e garantiu que não vai mais aceitar ofensas contra o clube e seus dirigentes. O processo é na esfera cível e criminal.

Flamengo processa jornalista da ESPN

Vice-presidente geral e da procuradoria geral do Flamengo, Rodrigo Dunshee usou as redes sociais para anunciar que o Flamengo vai processar o jornalista Gian Oddi, da ESPN. “Nós lamentamos que num momento de crise mundial, alguns poucos repórteres estejam perdendo seu tempo desferindo ofensas ao Flamengo e seus dirigentes. O primeiro deles (sequer conheço, mas se chama Gian Oddi?) já está sendo processado, criminal e civilmente pela ofensa que fez”, afirmou o dirigente.

Dunshee disse ainda que a imprensa tem a obrigação de comportar profissionalmente e respeitar as pessoas que trabalham no meio esportivo. O dirigente pediu respeito também ao Flamengo. Dunshee garantiu que críticas são aceitas, mas ofensas não.

Publicidade

Jornalista criticou diretoria do Flamengo

Na edição de segunda-feira do programa Linha de Passe, Gian Oddi comentou que a diretoria do Flamengo teria interesse em dar prosseguimento ao Campeonato Carioca mesmo em meio ao coronavírus. Para o jornalista, baseado em uma fonte, a atitude foi “desumana”.

Publicidade

Gian Oddi disse ainda que a postura foi estarrecedora e afirmou que nada justificaria a postura dos dirigentes em tentar manter a disputa do campeonato em meio a pandemia que chegou ao Brasil na semana passada.

Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Palmeiras não tem Mundial: a opinião de Pelé que está dando o que falar

Bruno Henrique, em meio a polêmica que pode render 6 anos de prisão, recebe homenagem