in

Caso Ronaldinho: conversas no WhatsApp complicam ex-jogador e seu irmão

Reprodução Globo / Globo Esporte
Publicidade

A situação de Ronaldinho e seu irmão, Roberto Assis, presos no Paraguai desde o último domingo (8), depois de terem sido pegos com cédulas de identidade e passaporte falsos, não é nada fácil. Nesta terça-feira, os irmãos viram a Justiça negar o pedido de prisão domiciliar e continuam na cadeia.

O Ministério Público do Paraguai investiga o caso e uma teia está sendo montada. Além de Ronaldinho e Assis, outras pessoas estão envolvidas no caso. Uma delas é o empresário brasileiro Wilmondes Souza Lira. Ele está preso desde quinta-feira.

Publicidade

Paula Lira, mulher de Wilmondes e a empresária paraguaia Dalia Lopez, que está foragida desde sábado, após ter a prisão decretada, também estão envolvidas na história e os detalhes chamam a atenção.

Paula e Dalia conversaram pelo WhatsApp

Além dos depoimentos, a polícia também recolheu o celular de Paula e encontrou a conversa dela com Dalia. A empresária paraguaia manda as imagens dos documentos falsificados com a foto de Ronaldinho. “Agora só falta o de Roberto”, disse Dalia. Paula pergunta o que houve com o documento do irmão de Ronaldinho e Dalia responde apenas que tem que seguir esperando.

Publicidade

A conversa segue e Paula diz que vai dar certo. Dalia encerra a conversa dizendo que a demora está a deixando angustiada porque era a primeira vez que estava acontecendo. Pela conversa, dá para entender que a confecção do documento era feito por um terceiro.

Dalia Atualiza Paula sobre chegada de documento

No dia 11 de janeiro, Dalia chamou Paula novamente e explicou que o documento de Assis havia chegado. Ronaldinho e seu irmão desembarcaram no Paraguai apenas no dia 4 de março e deram início ao momento mais turbulento de suas vidas.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator do i7 Network.

Next post

Bruno Henrique recebe dura notícia e convocação para depor na polícia é anunciada

Corinthians confirma venda de Pedrinho por mais de R$ 100 milhões