in

Flamengo: Bruno Henrique dá a receita para amenizar tragédia do Ninho e polemiza

divulgação Flamengo
Publicidade

A tragédia do Ninho do Urubu, que matou 10 jovens jogadores do Flamengo, completa um ano neste sábado (8) e está cercada de polêmicas.

Muita gente criticou o posicionamento do Flamengo em relação a tudo que aconteceu em suas dependências. Um incêndio que começou de madrugada matou 10 e feriu outros tantos.

Jovens de 14, 15 e 16 anos perderam a vida na tragédia que é considerada a pior coisa que aconteceu ao Flamengo em mais de 100 anos de história.

Publicidade

Diretoria do Flamengo é criticada

A diretoria do Flamengo não se posiciona de forma clara e objetiva sobre o ocorrido. Na semana passada, o Esporte Espetacular, da Rede Globo, veiculou reportagem sobre o incêndio no Ninho do Urubu.

Publicidade

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, não concedeu entrevista. O dirigente respondeu a algumas perguntas em conversa com outros representantes do clube.

Bruno Henrique fala sobre a tragédia

Sem um posicionamento claro da diretoria, quem falou nesta sexta-feira (7) foi o atacante Bruno Henrique. O camisa 27 conversou com a imprensa sobre a tragédia do Ninho do Urubu.

“Vai ser uma dor para sempre. Completa um ano amanhã da tragédia. A gente sabe que a melhor forma de tentar amenizar um pouco essa dor é entrar em campo e vencer. Creio que o Flamengo tem pessoas competentes para lidar com esta situação fora de campo. Vamos dar o nosso melhor em campo para vencer. Só assim para amenizar esta dor”, comentou o atacante.

Nas redes sociais, algumas pessoas criticaram Bruno Henrique por ele ter dito que entrar em campo e vencer amenizaria a dor pelas 10 mortes.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Luxemburgo e a última sobre Carlos Sánchez no Palmeiras: ‘tirar o melhor do adversário’

Neymar tem salário divulgado e valor impressiona; R$ 480 mil por dia