in

Palmeiras: Edilson não gosta de ser comparado a Dudu e rasga o verbo contra Luxemburgo

Divulgação Palmeiras / Band
Publicidade

Vanderlei Luxemburgo está no futebol desde o início dos anos 1990. Em todo esse tempo, ele treinou jogadores de muita qualidade e, às vezes, ele faz comparações entre o passado e o presente.

Recentemente, Luxemburgo comparou Dudu com Edílson, que foi treinador por Luxa no Palmeiras e no Corinthians, nos anos 1990.

Dudu não deve ter ligado para a comparação, mas Edílson não gostou. O pentacampeão do mundo pela seleção brasileira, em 2002, comentou sobre isso em participação no programa Os Donos da Bola, apresentado por Neto na Band.

Publicidade

Edílson critica comparação de Luxemburgo

“Um recado para o Vanderlei: Você está equivocado. Eu era técnico. Quando comecei no Tanabi, no Guarani, eu era meio-campo. Eu fui para o Palmeiras pelos serviços prestados a estes times. Então, quando eu fui para o Palmeiras, 93 e 94, campeão paulista, campeão brasileiro, eu era técnico e jogava de meio-campo”, explicou Edílson.

Publicidade

O ex-atacante disse ainda foi adiantado por Luxemburgo porque o treinador gostava que o meia acompanhasse o volante do time adversário.

Edílson se acha melhor que Dudu

“Ele está falando que eu sou igual ao Dudu. Que não eu não tenho técnica. Está de brincadeira”, afirmou o ex-jogador. Edílson ficou marcado no futebol por lances de habilidade. Ele rápido e também marcava gols.

Os corintianos não esquecem o gol que ele marcou contra o Real Madrid, no Mundial de 2000, após dar rolinho no zagueiro do time espanhol. Os alvinegros também não esquecem quando Edílson defendia o São Caetano e deu muito trabalho para o volante Mascherano, no Pacaembu, em 2005.

Publicidade
Avatar

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network desde 2015.
Fale comigo: diogojornalismo@yahoo.com.br

Next post

Palmeiras cresce em valor de marca; confira o ranking dos clubes mais valiosos do Brasil

Corinthians: desafeto de Carille, Boselli entra para a história do clube com Tiago Nunes