in

Walter Kannemann critica onda de demissões no Grêmio: ‘Dá raiva’

Goal
Publicidade

Walter Kannemann, zagueiro do Tricolor Gaúcho, concedeu entrevista nesta sexta-feira (17) e decidiu se pronunciar a respeito das demissões em massa que foram realizadas na comissão técnica do Grêmio.

O jogador teceu críticas à postura dos dirigentes. O motivo maior da sua revolta seria que há pessoas lá dentro que apenas “cumprem horário”, e essas pessoas, não teriam sido demitidas. Kannemann disse que essa situação o deixa chateado e com raiva.

Publicidade

Totalizando, foram realizadas sete demissões: a do fisioterapeuta Henrique Valente, da nutricionista Katiuce Borges, do assessor de imprensa João Paulo Fontura, dos fisiologistas José Leandro e Rafael Gobbato, e do preparador de goleiros Rogério Godoy.

O zagueiro do Tricolor Gaúcho, logo no primeiro questionamento que lhe foi feito, saiu em defesa dos ex-funcionários do Grêmio: “Estou muito triste e chateado com o que tem acontecido, com a saída e o jeito da saída de pessoas que deram muito pelo Grêmio. Foram 10, 15 anos de Grêmio”.

Publicidade

Continuou seu pronunciamento, demonstrando a sua insatisfação com a maneira que os dirigentes conduziram a situação: “Dá raiva também pessoas que saem que desde o primeiro momento que cheguei, mostraram o sentimento de ser gremista, a moralidade de ser gremista”.

Próximo compromisso

O Imortal entra em campo novamente nesta quarta-feira (22) pelo Campeonato Gaúcho. O jogo será contra o Caxias, e terá início às 20h (horário de Brasília). Os torcedores prometem comparecer em peso ao estádio em Porto Alegre. Uma vitória seria bom para o clube começar o campeonato estadual com o pé direito.

Publicidade
Avatar

Escrito por Rafael

Rafael Ferreira é um escritor que gosta de redigir matérias jornalísticas, levando entretenimento e cultura para seus leitores. Sinta-se a vontade para entrar em contato: rafael_ferreira_@live.com

Next post

De saída? Abel Braga e a última polêmica com o Flamengo que revoltou a torcida do Vasco

Reinier Jesus mal chegou do Flamengo e já há bagunça