in

Cruzeiro surpreende e bate o martelo sobre saída de medalhões: ‘barca será ainda maior’

Reprodução/Correio 24 Horas
Publicidade

O Cruzeiro enfrenta uma das piores crises de sua história, dentro e também fora dos gramados, e acabou sendo rebaixando à segunda divisão nacional. O ano de 2020 da equipe mineira será de reconstrução e aposta em muitos de seus jovens talentos das categorias de base.

Medalhões de saída!

Na tentativa de reduzir sua folha salarial de R$ 15 milhões para R$ 4 milhões mensais, o Cruzeiro negocia com seus jogadores a possibilidades de novos contratos. A equipe terá um teto limite de R$ 150 mil reais para seus atletas e não deverá abrir muitas exceções.

Publicidade

O momento na raposa é de reformulação, e os jogadores que não se adaptarem à nova ideologia do clube no momento terão a possibilidade de negociar com outras equipes. Henrique e Egídio, dois medalhões do elenco, estão de saída e deverão assinar contrato com o Fluminense.

Marquinhos Gabriel, de 29 anos de idade, também não deverá permanecer e negocia com o Athletico-PR. A contratação do jogador foi um pedido do técnico Dorival Jr, que trabalhou com o meia-atacante na equipe do Santos.

Publicidade

Fabrício Bruno, de 23 anos de idade, é outro jogador que não permanece e já está próximo de anúncio oficial no Red Bull Bragantino. O jogador também deverá retirar sua ação judicial contra o Cruzeiro na justiça e a rescisão será amigável.

Base forte!

Na temporada 2019, em meio à tantos problemas e demissões, o Cruzeiro acabou apostando em alguns jovens das categorias de base e revelou alguns nomes que podem ser importantes na nova temporada. Maurício, Cacá e Ederson vão receber ainda mais oportunidades.

O meia-atacante Marco Antônio, camisa 10 do time que disputa a Copa São Paulo de Futebol Júnior, também pode receber oportunidades no elenco profissional do Cruzeiro.

Publicidade
Next post

Mercado da bola: quem chega e quem sai do Corinthians

Mercado da Bola: saiba quais são as principais novidades desta terça-feira (07)